Santuário japonês oferece amuletos para proteger cada parte do corpo

Destaque Fique Por Dentro

Okayama – Muitos santuários e templos no Japão vendem amuletos para uma boa saúde, mas um santuário na prefeitura ocidental de Okayama é famoso por oferecer mais de 50 variedades de amuletos para diferentes partes do corpo ou sintomas.

Amuletos para proteger diferentes partes do corpo são vendidos no santuário Nihon Daiichi Kumano em Kurashiki, província de Okayama, oeste do Japão em 20 de outubro de 2020. (Kyodo)

Os amuletos exclusivos oferecidos em Nihon Daiichi Kumano são fruto da imaginação do sacerdote chefe do santuário, Mitsuyuki Sato, de 74 anos, que tem um histórico de doenças cardíacas e hepáticas.

“Temos mais categorias do que (departamentos) em um hospital geral”, disse Sato. “Espero que os amuletos dêem às pessoas esperança de melhorar.”

O santuário começou a vender amuletos especializados por volta de 2007. Com muitos visitantes orando por boa saúde, Sato apresentou os amuletos para o fígado, pulmão, coração, rim e baço após conversar com fiéis e funcionários de instalações médicas.

Sato teve a ideia de um amuleto de sinapse quando fez um teste de demência e ouviu de seu médico que “as sinapses conectam células cerebrais”.

O amuleto sinapse, lançado em 2019, provou ser popular não apenas entre pessoas que sofrem de demência e aqueles que desejam se proteger contra ela, mas também entre os pais que desejam sucesso acadêmico para seus filhos, disse Sato. “Acho que eles estão orando por uma boa memória.”

Os amuletos para as partes do corpo custam 600 ienes ($ 5,80) cada.

Desde o final de abril, quando o novo coronavírus surgiu no Japão, o santuário distribuiu cerca de 20.000 amuletos de papel para dissipar a pandemia. Também planeja lançar novos amuletos até janeiro para proteger as unhas e desejar níveis estáveis ​​de colesterol.

“Espero que as pessoas que se preocupam com a saúde possam começar o Ano Novo com bom humor”, disse Sato. Ele tem como objetivo aumentar o número de amuletos para 108, o mesmo número que os estados mentais que acreditam causar sofrimento no budismo.

Com informações Kyodo News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.